sábado, 23 de novembro de 2013

Carta ao Príncipe do Castelo Azul

Heitor, filho querido, há exatos seis anos chegavas a este mundo. Nascia um filho, nascia também um pai.

Mas não qualquer pai. Pela força das circunstâncias, ser pai nunca foi suficiente. O amor incondicional a ti tem me exigido muito mais. A graça de ter-te comigo faz, contudo, desta vida um aprendizado permanente. Dia após dia, me ensinas a ser alguém melhor, a ter mais paciência, a compreender as fraquezas alheias e próprias, a buscar energias para superar os desafios, a dar valor aos pequenos grandes gestos, atitudes e palavras feitos por amor.
Muitos dizem que só pais especiais podem ter filhos especiais. Não sei se sou merecedor de tamanha honraria, mas já que a providência universal encaminhou-nos para sermos pai e filho, recebi-o há seis anos e o recebo a cada dia como uma verdadeira dádiva, ajudando-te, mas também sendo ajudado por ti, que me fazes enxergar diariamente a verdadeira importância das pessoas e das coisas em nossas vidas.

Neste dia e momento, oro por ti. Para que possas ser a cada dia mais feliz e bem-sucedido. Para que cresças forte e saudável e te desenvolvas em plena saúde física, espiritual e mental. Que a graça divina encha-nos de sabedoria e temperança, que nosso amor por ti (o meu, o de mamãe e o de Nicolas) possa transformar em mel o fel, em alegria a tristeza, em abundância a escassez, em leveza o fardo, em paz interior o sofrimento.
Que todas as bênçãos divinas e dos espíritos de luz do universo sejam derramadas em ti, filho querido.

Feliz aniversário, felicidades hoje e sempre.
Homenagens anteriores a ele:
http://direitoecultura.blogspot.com.br/2013/04/a-mais-linda-homenagem-de-uma-amiga-o.html.
http://direitoecultura.blogspot.com.br/2007/11/o-guerreiro-nasce.html.

Nenhum comentário: