sexta-feira, 5 de abril de 2013

A mais linda homenagem de uma amiga - "O castelo azul do Heitor"


Minha querida amiga Larissa Leal, que, além de grande Professora de Direito Civil e Advogada, é um ser humano extraordinário, mostra sua ímpar sensibilidade e habilidade com as palavras, me dedicando e à minha família essa linda homenagem abaixo, justamente na Semana Mundial de Conscientização do Autismo.
 
Não preciso dizer que derramo lágrimas de emoção todas as vezes que releio essas palavras tão lindas, exatamente como ocorre agora.
 
Obrigado, querida. Um grande beijo azul de todos nós.
 
“O CASTELO AZUL DO HEITOR
- Por que o céu é azul?
- Eita, essa é difícil: é porque o sol tem tanta luz que nele cabem todas as cores. Elas estão sempre correndo em linha reta, tentando pintar o céu. Mas o azul é a cor mais rápida, faz um caminho mais comprido. Então, chega antes e pinta o céu inteiro.
- E o vermelho e o laranja?
- Essas são cores mais lentas. Demoram! Mas de tardinha, quando chegam, o azul as deixa pintarem um pouquinho o céu.
- E por que o mar é azul se a á...gua é transparente?
- Agora essa ficou fácil. Lembra das cores que correm? Elas também correm dentro do mar até o fundo...de novo, o azul é mais forte e rápido. É o primeiro e às vezes o único que vai até o fundo; quando chega lá, pinta a areia de azul. Às vezes fica meio verde (antes que me pergunte isso), mas é quase sempre azul. Pronto chegamos!
- Nossa, é um castelo?
- Não...quer dizer, é um palácio...então, é quase como se fosse um castelo.
- Por que esse castelo é azul?
- Porque nesse castelo habita um casal, pais de dois lindos príncipes: o Heitor e o Nicolas. Hoje é um dia especial porque é um dia dedicado ao Heitor.
- Por que?
Nesse momento, grita, de longe um tolo, enquanto passava perto:
- Que nada! Isso aqui não é um castelo, ninguém mora aí e essas paredes são beges. O que você vê é apenas uma luz azul virada para a parede!
- É verdade? É apenas uma luz azul virada para a parede?
- Sim, é verdade. Mas essa luz virada para a parede é a mesma que corre e pinta o céu e o mar de azul.
- Ninguém mora nesse Palácio?
- Morar, não mora. Mas é a casa de muitas pessoas.
E antes que o choro decepcionado encerasse a conversa, me apressei:
- Há pessoas que não conseguem ver magia em nada. Vivem num mundo sem aventura, nem sonho, nem cor. Mas eu espero que você faça diferente. Essa luz azul está aí, de verdade, para nos lembrar que precisamos conhecer melhor todas as pessoas. E quanto ao Príncipe Heitor, em dias azuis, como hoje, ele sai para passear com seu pai. Venha cá, preste atenção: daqui a pouco, você verá....veja, são os dois, a cavalo, em um dia azul!”

Heitor tem autismo e hoje uma bela luz azul foi colocada na fachada do prédio da Faculdade de Direito do Recife, onde seu pai,
Bruno Galindo trabalha. Também hoje, tenho quase certeza, tive esse diálogo improvável diante de um prédio cor de areia pintada de azul.
Para nós, que habitamos nessa casa, bastou uma única lâmpada azul para reunir a todos, feito mágica, em uma causa que, se é de Heitor, se é de Bruno, também é nossa. Quando eu estava saindo, ouvi um "potoc, potoc, potoc"...acho que eram cavalos...

Para Heitor, Nicolas, Ana e Bruno, com amor."

Nenhum comentário: