domingo, 18 de outubro de 2009

Herrera Flores: lamentável e prematura morte



Soube ontem do recente falecimento do grande Professor Joaquín Herrera Flores, da Universidad Pablo de Olavide, de Sevilla/Espanha.

Embora a morte seja algo tão natural quanto a própria vida, sempre temos dificuldades em aceitá-la, principalmente de gente que, como o ainda jovem Mestre espanhol, teria tanto a contribuir para a reflexão jusfilosófica sobre democracia, direitos humanos e interculturalidade, temas que eram caros a Herrera Flores, assim como o são para mim.

Já havia postado um texto sobre a presença dele na Faculdade de Direito do Recife (cf. http://direitoecultura.blogspot.com/2007/06/herrera-flores-na-faculdade-de-direito.html), há apenas dois anos. Foi, na ocasião, uma grata oportunidade de nos deleitarmos com suas profundas reflexões temáticas sobre a universalização dos direitos humanos.

Pessoalmente, o conheci em Coimbra/Portugal, no ano de 2003, quando lá estava fazendo o meu PDEE (Programa de Doutorado com Estágio no Exterior), "popularmente" conhecido como "doutorado sanduíche". Conversamos bastante, em um simpósio promovido pelo Prof. Boaventura de Sousa Santos, acerca das diferentes interculturalidades existentes na disparidade de ambientes como a Europa e a América Latina e a perspectiva de contemplação jurídica das mesmas. O meu viés, como a maioria dos leitores deste blog sabe, é mais calcado na teoria constitucional, e o de Herrera Flores, mais jusfilosófico, o que não foi empecilho para debatermos a respeito.

Em Recife, aprofundamos um pouco mais questões intrigantes, como mínimo existencial dos direitos humanos e universalismos hegemônicos de teorias humanistas. Tive oportunidade de presenteá-lo com o meu livro TEORIA INTERCULTURAL DA CONSTITUIÇÃO, sobre o qual o Professor espanhol demonstrou bastante interesse.

Cheguei a me comunicar com ele via e-mail umas poucas vezes, pensando até mesmo em dar uma chegada em Sevilla e me inserir no debate. Não que isso não seja mais possível, mas sem ele, o debate empobreceu...

Caro Prof. Herrera Flores, que possas encontrar a eternidade de teu espírito em outra dimensão da vida, preferencialmente melhor que esta. De nós, que tenhas registrado as fecundas sementes que plantastes, as quais floresceram e florescerão entre os teus admiradores e discípulos na Espanha, no Brasil e em outros quadrantes.

Vida longa à tua obra!

Muchas gracias, por todo, Prof. Herrera Flores!