quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Nasce outro guerreiro

"Neve derretida. Em festa,
O novo respirar da floresta.
No espelho das águas se fez
A imagem do sol outra vez..."
(Lucas E. Schultz: O Caminho do Guerreiro)

Nascido sereno com olhar de curiosidade,
Imperturbável diante de tão estranho ambiente,
Consubstanciando sublime momento da mãe natureza,
Ouves, então, manifestado e emocionado derramar de lágrimas,
Lá bem perto do aconchego que durara por tantos meses,
Agora parecendo tão distante,
Sedimentando súbita ruptura e vital metamorfose!

Não se pense com o ocorrido,
Imaginar passividade de tão singela criatura,
Com a vibrante fortaleza de seu indômito espírito,
Ousas sacudir a existência dos que te circundam,
Lamuriando quando com algo incomodado,
A dirigir-lhes olhar firme e terno,
Serenamente suavizas a imensa força de teu coração!

Nas agruras da vida neste belo e maltratado planeta,
Irradias docílima pureza e positiva energia,
Coroando o pleno ser dos seres em teu entorno,
O fluxo vital novamente se completa,
Lançando às hostes o pequeno guerreiro,
A aventurar-se pelas vindouras realizações,
Sustentadas pela solidez de teus alicerces d´alma!

Não mais é possível prescindir de ti,
Insistes em aqui estar e razão te assiste,
Com tua presença, pois,
Outros horizontes se mostram,
Lamúrios se esvaem como sombras de nuvens,
Alegrias se estabelecem em jubilosa exultação,
Saudáveis mente, espírito e coração em ti ficaram para não mais retornar!

Nenhum senciente ser poderá, portanto,
Ignorar tua suave e compassiva presença,
Com a sabedoria que haverás de cultivar,
Ostentar, possas, tal inostentável virtude,
Lamentar as ilusórias e passageiras glórias dos incautos, porém,
Alegrar-se com as felizes vitórias dos grandiosos espíritos,
Semeando, pois, tal candura e beleza a todos que contigo estiverem!

Nada em tal instante é, pois, tão relevante;
Inimagináveis e efusiantes emoções,
Corroem sem dificuldades,
Obscuras e petrificadas indiferenças frente à vida,
Logo aí onde a abundância insiste em existir,
Alimentando a incendiária chama do amor, e, afinal,
Sublimando toda a felicidade que avassaladoramente nos trazes!

(Do Autor deste blog: Nova Ode a um Pequeno Guerreiro)

Um comentário:

PETRUS disse...

Prezado Professor Bruno,
Que inspiração!
Confesso que fiquei emocionado. Parabéns pelo herdeiro e a linda obra poética a ele dedicada. Viva!